O melhor dos gêneros de horror, suspense, ficção e fantasia

Os 10 Melhores Filmes De Terror De 2014 | Dr. Terror

16 233

Infelizmente esta é mais uma lista que já deveria ter saído antes, mas da mesma forma que a minha seleção com os 10 Piores Filmes de Terror de 2014, a falta de tempo acabou me obrigando a deixar esta para o fim do mês.

Antes de mais nada, queria deixar bem claro aqui, que, na minha opinião, 2014 foi ano muito ruim para o gênero. Não foi pior do que 2006, que foi horrível, mas ainda assim foi bem fraquinho. Tivemos várias opções que surgiram como ótimas promessas mas nenhuma foi uma unanimidade e, infelizmente, neste ano não assisti nenhum filme que realmente me conquistasse a ponto de dizer ‘UAU! Que filmaço!’ e confesso que pra mim foi bem difícil achar 10 filmes dignos desta lista.

Outro ponto que devo deixar claro, é que depois de quase 30 anos submetidos à doses praticamente diárias de terror, adquiri um gosto bem peculiar e certamente muitos aí não vão concordar com alguns filmes dessa lista. Então, ao passar por esses títulos, lembrem-se sempre: Ninguém é perfeito, mas entendo isso e eu perdoo vocês.

Vamos aos 10 Melhores Filmes de Terror de 2014

Infectado - Afflicted10. Infectado (Afflicted)

Quem diria, hein? Comecei com um found footage. Bem, na verdade Infectado não é exatamente um found footage, pois também tem muitas características de um mockumentary, mas, por mais que eu não nutra afeto por este subgênero, não há como negar que Infectado tem seus méritos. Derek Lee e Clif Prowse conseguiram fazer o que muitos tentaram e pouquíssimo conseguiram nestes últimos anos: Dar uma cara nova e interessante aos filmes de vampiro e, com isso, provar que eles ainda podem ser bem assustadores quando elaborados com um mínimo de inteligência. Somente isso já vale a presença de Infectado nessa lista. Além disso, o filme tem um ritmo excelente, é divertido e possui um fator que para mim é essencial em um found footage (mockumentary): A câmera não chacoalha muito.

“Os amigos Derek e Clif partem na viagem de suas vidas. Seu plano: viajar para os confins da terra, ver o mundo, e viver a vida ao máximo. Mas a viagem logo toma um rumo sombrio e sangrento. Em poucos dias, um dos homens apresenta sinais de uma doença misteriosa que gradualmente toma todo o seu corpo e ser. Agora, há milhares de quilômetros de casa, em uma terra estrangeira, eles devem correr para descobrir a origem de sua doença antes que ela o consuma completamente. A filmagem de suas viagens, destinadas a documentar memórias agradáveis, podem agora se tornar evidências de uma das descobertas mais chocantes já capturadas em filme … e pode ser o seu único cartão postal para casa.”

The Taking Of Deborah Logan9. The Taking Of Deborah Logan

Eu já sei o que vocês estão pensando e a resposta é: Não! Esta não é uma lista com os 10 Melhores found footages de 2014. Na verdade este é o último deles e aqui está um exemplar que tenho certeza absoluta que fez vários desafetos por aí, mas The Taking Of Deborah Logan talvez tenha sido, para mim, a maior surpresa do ano. Eu honestamente não esperava nada desse filme e o resultado final me impressionou bastante. Eu admito que o filme não é perfeito. Tem vários furos, falhas fatuais e é bem clichézudo, mas ainda assim o diretor Adam Robitel conseguiu nos presentear com algumas cenas bem assustadoras, muito graças ao excelente trabalho de Jill Larson, que conseguiu nos entregar aquele que talvez seja o personagem mais arrepiante de 2014… Debora Logan. E é basicamente por causa dela que este filme está aqui. Sério! Até hoje tô com medo de visitar minha vó! E olha que ela nem Alzheimer tem! E já que toquei no assunto, este é outro ponto que gostei muito no filme. O respeito e o caráter informativo com o qual The Taking Of Deborah Logan aborda a doença no primeiro terço do filme.

“Mia Medina (Michelle Ang) finalmente encontrou o tema perfeito para o filme de sua tese de doutorado sobre a Doença de Alzheimer. Nos próximos meses, as câmeras irão gravar o cotidiano de uma mãe, Deborah Logan (Jill Larson), e sua filha, Sarah (Anne Ramsay). Mas conforme os dias progridem, coisas estranhas começam a acontecer em torno de Deborah que não são compatíveis com quaisquer conclusões sobre a doença de Alzheimer. Torna-se evidente que há algo além do Alzheimer, que assumiu o controle da vida de Deborah. É um mal muito pior do que a debilitante doença com o qual ela foi diagnosticada.”

The Town That Dreaded Sundown8. Assassino Invisível (The Town That Dreaded Sundown)

Assim que ouvi falar que fariam um remake para Assassino Invisível, a primeira coisa que veio na minha cabeça foi: “Quem foi o idiota que teve essa idéia de jerico? Como um slasher com um assassino tão ultrapassado, poderia funcionar hoje em dia, diante de um público acostumado com mortes mirabolantes e litros de sangue jorrando de um corte do tamanho de uma unha?” Aí surgiu a ideia da tal da meta visão e eu fiquei mais perdido ainda, certo de que o filme seria uma piada. Mas ele finalmente saiu e o resultado foi surpreendentemente impressionante. A nova versão é tanto um ramake como uma sequência e ainda por cima, assim como os filmes da série Pânico, é uma reinvenção totalmente auto-consciente do filme de 76. E o melhor de tudo, o filme dá novos contornos às morte conforme o novo assassino re-encena os crimes e ainda com uma dose considerável de brutalidade.

“Inspirando-se no clássico de 1976 de mesmo nome, a estreia impressionante de Alfonso Gomez-Rejon não é bem um remake, pois é uma reinvenção astuta, resultando em uma experiência de meta-horror verdadeiramente inovadora e inesperada. Situado em um mundo em que o filme original existe e é uma parte muito importante da consciência popular, esta atualização vê as ruas tranquilas de Texarkana atormentada por um maníaco que tem semelhança notável com o mesmo Phantom Killer que causou estragos na cidade décadas antes. A história está se repetindo? Ou será que alguém acabou de ver o filme original muitas vezes? Talvez a chave para o mistério encontra-se com uma jovem colegial Jami, que deve descobrir a verdade se ela quiser sobreviver à carnificina. Meticulosamente decorado com uma vibe inconfundível do gêneroem 1970, mas com um toque ultra-moderno, este é aquele animal raro; uma reinicialização de horror que realmente se sente que foi feito com os fãs de horror em mente.”

Housebound7. Housebound

Os neozelandeses estão se especializando em comédias de horror e elas estão cada vez melhores. Housebound é uma prova disso. O filme é uma verdadeira montanha-russa que combina o horror e a comédia de uma forma muito bem equilibrada e que brinca com várias convenções de ambos os gêneros de uma maneira muito divertida. Como se isso não bastasse, o filme tem uma vibe bem anos 80 que eu gosto muito e uma das coisas que mais me impressionou, foi a capacidade de Gerald Johnstone de usar uma trilha sonora extremamente sinistra para dar o tom cômico em vários momentos da história. Cada minuto de Housebound é uma surpresa. Não fosse a perda de ritmo da segunda metade em diante, o filme seria perfeito. Mas ainda assim tem o suficiente para entrar nessa lista.

“Kylie Bucknell é forçado a voltar para a casa que ela cresceu quando o tribunal a colocou em prisão domiciliar. Sua punição se faz ainda mais insuportável pelo fato de que ela tem que morar com sua mãe, Miriam – uma fofoqueiroa bem-intencionada que está convencida de que a casa é mal-assombrada. Kylie considera as superstições de Miriam, como nada mais do que uma distração em uma vida ocupada por legumes cozidos e fofocas da cidade pequena. No entanto, quando ela também se da conta dos sussurros inquietantes e solavancos estranhos durante a noite, ela começa a se perguntar se ela herdou imaginação fértil de sua mãe, ou se a casa está de fato possuído por um espírito hostil, que particularmente não está entusiasmado com o seu retorno.”

Dead Snow 2 Red Vs Dead6. Dead Snow 2: Red Vs. Dead

Eu sou muito suspeito para falar desse filme porquê o primeiro filme, Zumbis Na Neve, é um dos meus favoritos desse subgênero. Mas isso não quer dizer muita coisa, pois, embora seja uma sequência direta, em se tratando de atmosfera, Dead Snow 2: Red Vs. Dead, é um animal completamente diferente de seu antecessor. Enquanto o primeiro é um filme que faz uma sutil desconstrução de gênero, esta sequência também dirigida por Tommy Wirkola é muito mais escrachada, politicamente incorreta e tem vários momentos hilários (pelo menos pra mim, né?!). Ao mesmo tempo Dead Snow 2: Red Vs. Dead é sangrento até o talo e o não deixa a peteca cair em momento algum. O filme segue seu ritmo frenético o tempo todo e quando termina deixa aquele gostinho de “quero mais” (Tá! Eu sei! Essa última frase foi piégas pra cacete!)

“Martin (Vegar Hoel), o único sobrevivente do ataque de zumbis nazistas original, deve batalhar contra um exército ainda maior de zumbis. No entanto, desta vez ele têm a ajuda do “The Zombie Squad”, um grupo de caçadores de zumbis profissionais dos Estados Unidos.”

The Babadook5. The Babadook

Pois é… The Babadook na opinião de muitos foi a grande surpresa do ano e praticamente se tornou uma obrigação falar bem desse despretensioso indie australiano. E realmente, The Babadook é um filme extremamente inteligente dentro de sua proposta e a ambientação é fantástica. As interpretações são incríveis e o trabalho de Jennifer Kent é impecável. Lendo isso, eu tenho certeza que você deve estar se perguntando: “Mas se ele é tudo isso, porquê não está em primeiro lugar?”

Bem… Seria muito fácil eu chegar aqui e discorrer os mesmos argumentos que todo mundo utiliza para justificar a idolatria pela produção, mas eu tive alguns problemas com The Babadook que me impedem de classificá-lo como tenho visto pela internet a fora. Primeiro que o filme não é nada assustador. Pelo menos não para mim. Na verdade, na minha opinião, o mais assustador do filme é o menino, que é um verdadeiro porre. Mas que fique claro que não digo isso em tom pejorativo, porquê o objetivo era esse mesmo e o pequeno Noah Wiseman arrebenta. Mas o que mais me desanimou no filme é que ele é tão dramático que, pra mim, determinados momentos, por mais inteligentes que sejam, se tornaram um verdadeiro exercício de paciência. De onde eu vejo, – os eruditos que me julguem – eu nem diria que ele é um filme de terror dramático, mas sim um drama que vai buscar no horror, os elementos para contar sua história e passar sua mensagem. Não fosse isso, com certeza absoluta The Babadook teria um lugar muito melhor nessa minha lista.

Seis anos após a morte de seu marido, Amelia se esforça para disciplinar um menino de seis anos de idade “descontrolado”, Samuel – um filho o qual ela acha difícil amar . Os sonhos de Samuel são atormentados por um monstro que ele acredita estar vindo para matar os dois. Quando um livro de histórias perturbador chamado “The Babadook ” aparece em sua casa, Samuel se convence de que o Babadook é a criatura com que ele está sonhando. E quando Amelia começa ela mesma a ter vislumbres da criatura, ela desperta lentamente para o fato de que a coisa da qual Samuel tentou alertá-la, pode muito bem ser real.”

Uma Noite De Crime4. Uma Noite De Crime: Anarquia

Acho que todo mundo sabe o desprezo que tenho pelo primeiro filme, mas neste segundo DeMonaco se redimiu. Mesmo sendo mais voltado para a ação do que para o suspense como o primeiro, Uma Noite De Crime: Anarquia tem um ritmo intenso do início ao fim e, na minha opinião, ele só é tudo que primeiro filme deveria ter sido, mas não foi. Pela primeira vez vimos o tal Expurgo na prática e o mais interessante, os efeitos que ele tem sobre a sociedade e como isso afeta as pessoas individualmente. Isso fica claro logo nos primeiros minutos do filme quando dois personagens se despedem e um vira para o outro e diz: “Fique Seguro“. Esse é o verdadeiro Expurgo. Um evento que afeta profundamente a forma de viver de uma sociedade inteira e não uma mera desculpa para fazer uma re-leitura de Sob Domínio Do Medo. Sério! É igualzinho! Mas em Uma Noite De Crime: Anarquia a trama ganha muito mais profundidade com conspirações governamentais, grupos rebeldes, a questão da desigualdade social é explorada de uma forma muito mais inteligente. Em vez de um grupo de personagens, a continuação divide o enredo em três subtramas diferentes e com isso temos uma gama de personagens muito mais desenvolvidos, com muito menos enrolação. Definitivamente um dos melhores do ano.

“Em Uma Noite De Crime: Anarquia, um jovem casal dirige a caminho de casa, quando seu carro quebra e os deixa a pé, no meio da rua, em plena noite do Expurgo. Sem ter para onde ir e sem ninguém para ajudá-los, eles devem tentar a sorte para conseguir chegar em casa. Porém eles se tornam o alvo de uma gangue de motoqueiros e terão que lutar para sobreviver às próximas doze horas.”

All Cheerleaders Die3. All Cheerleaders Die

Sabe quando você termina de ver um filme e fica com aquele sorriso abobalhado no rosto? Pois é. Foi assim que fiquei depois de assistir All Cheerleaders Die. Mas eu tenho plena consciência que, nesse caso, sou um em um milhão e muitos aí com certeza vão cair de pau em cima dele (e de mim). Principalmente por causa do baixo nível da produção que realmente não é das melhores e que as pessoas em geral tem muito problema em relevar. Independentemente disso eu gostei muito desse filme. All Cheerleaders Die tem um enredo louco que envolve bruxaria, pedras mágicas, zumbis vampiras em busca de vingança e o resultado é extremamente divertido em todos os sentidos, porquê, de certa forma, essa loucura torna o filme bem imprevisível e a gente nunca sabe o que vem pela frente. As atuações são ótimas para um indie desse tipo. Digam que disserem, All Cheerleaders Die foi uma das coisas mais legais que vi esse ano.

“Quando a tragédia abala Blackfoot High, a estranha e rebelde Maddy Killian choca do corpo estudantil ao se juntar à equipe de lideres de torcida. Esta decisão leva a um conflito entre Maddy e sua ex-namorada Leena Miller – uma solitária que afirma praticar as artes das trevas. Depois de um confronto com a equipe de futebol, Maddy e seus novos amigos da claque são enviados em uma montanha-russa sobrenatural, que deixa um rastro de destruição que nenhum deles será capaz de escapar.”

O Espelho - Oculus2. O Espelho (Oculus)

Mais um filme que divide opiniões é O Espelho, de Mike Flanagan, e na minha opinião, infelizmente, muito da rejeição ao filme, se deve ao péssimo trabalho de tentar vendê-lo como um filme de casa mal-assombrada comum. Aqui no Brasil então nem se fala! A imagem de divulgação do filme era justamente o maior spoiler de todos. O que prova que os responsáveis não souberam como lidar com ele. Creio eu que eles acharam que, mostrar uma cena violenta, levaria mais pessoas ao cinema. Só pode! O Espelho não é genial, nem original, mas é um conto de horror que oferece uma nova possibilidade a cada segundo com seu quebra-cabeças montado com peças do passado, do presente, real e ilusório, e que foge dessa velha e cansada fórmula de filme de fantasma e de casa mal-assombrada que já vem sendo usada há quase 100 anos. Por isso e por muito mais, fica com o segundo lugar.

“Há dez anos, a tragédia atingiu a família Russell, deixando a vida dos irmãos adolescentes Tim e Kaylie alteradas para sempre, quando Tim foi condenado pelo brutal assassinato de seus pais. Agora aos 20 anos, Tim é recém-libertado da prisão preventiva e tudo o que ele quer é seguir em frente com sua vida, mas Kaylie, ainda assombrada por aquela fatídica noite, está convencida de que a morte de seus pais foi causada por algo completamente diferente: uma força sobrenatural maléfica desencadeada através do “Lasser Glass”, um antigo espelho em sua casa de infância. Determinada a provar a inocência de Tim, Kaylie rastreia o espelho e descobre que todos os proprietários anteriores do ítem, tiveram mortes semelhantes ao longo do século passado. Com a misteriosa entidade agora de volta em suas mãos, Tim e Kaylie em breve veem seu domínio sobre a realidade abalada por terríveis alucinações, e percebem, tarde demais, que seu pesadelo de infância está começando de novo…

The Guest1. The Guest

Pelo segundo ano consecutivo a dupla composta Adam Wingard e Simon Barrett fica com o primeiro lugar nessa minha lista e eu já posso até ouvir algumas pessoas dizendo: “Ain! Mas The Guest não é terror!”. Não. Não é. É um suspense de ação, mas como eu sempre deixo bem claro quando as pessoas aparecem com esse tipo de declaração, todos os filmes que são cobertos pelo Terrorama estão passíveis de entrar nessa lista, então… Vão encher o saco de outro. Continuando…

The Guest tem uma série de componentes que fazem dele o melhor filme de 2014. Logo de cara já começa pela vibe anos 80, que como vocês sabem, é uma coisa que gosto muito. Junte a isso uma trilha sonora simplesmente sensacional e já é meio caminho andado. Mas o melhor de tudo, na minha opinião, foi a capacidade de nos apresentar um vilão do qual não dá para não gostar. David, interpretado por Dan Stevens, é aquele cara que chega e conquista a confiança de todos (inclusive a nossa) antes de revelar a sua verdadeira face. E mesmo depois disso, é impossível não torcer por ele, mesmo sabendo que isso acarretará na morte de outros personagens igualmente cativantes. E eles são vários, como no caso de Anna, interpretada por Maika Monroe e que muito em breve veremos de novo em A Corrente Do Mal. Isso sem falar no final. Sendo bem honesto, não tem nada de mais, mas na minha opinião a cena final é épica e o filme não poderia ter um encerramento mais perfeito.

“O filme conta a história de um jovem soldado que chega à porta da família Peterson, afirmando ser um bom amigo de seu filho amado, morto em combate. O Petersons recebem David Peterson em sua casa e em suas vidas, mas quando as pessoas começam a morrer misteriosamente na cidade, o caos se instala quando a filha adolescente, Anna, começa a questionar se David é responsável.”

Pois aí estão os 10 Melhores Filmes de 2014 na minha opinião. O que acharam?

  • Mercy

    Cara, que crítica sem sentido! Quer dizer que The Babadook não está melhor classificado por ser um drama, mas The Guest é o primeiro mesmo não sendo terror? E esse terceiro lugar, meu Deus! Você mesmo deprecia o filme e ainda assim o coloca no pódio? Assim não dá, parça…

    • Primeiro de tudo: Isso não é uma crítica, é uma lista e listas são subjetivas por estarem atreladas a gostos pessoais. Talvez seja a sua primeira vez aqui, mas se você lesse com frequência minhas publicações – e pra mim isso ficou evidente no texto – provavelmente saberia que a minha tolerância com dramas é praticamente zero e aí está o motivo de The Babadook não ter ficado em uma posição melhor. Na minha concepção, o filme é um drama em um ambiente de horror. Um chororô e gritaria do início ao fim e não dá medo nenhum. Pelo menos não em mim. Mas tem seus méritos. The Guest é um suspense de ação e eu expliquei no texto o porquê dele estar na lista. Como foi o filme que mais gostei. Primeiro lugar pra ele.

      Em segundo lugar, onde foi que eu depreciei All Cheerleaders Die?! Porque eu disse que as pessoas vão cair de pau em cima do filme por causa do baixo nível de produção?! Se você reler direitinho, vai perceber que da forma como coloquei, essa é uma questão que afeta a percepção do público, não a minha. Diferentemente da maioria do público no Brasil que acha que tudo que não é do James Wan ou de um grande estúdio é trash, eu consigo relevar esse tipo de coisa e acho que eu deixei bem claro isso nos trocentos elogios que fiz ao filme nas linhas seguintes. Mas você optou em mencionar aqui só o que lhe interessava, né?

      Mas você não deve ter lido nada direito, porque lá em cima eu frisei “que depois de quase 30 anos submetidos à doses praticamente diárias de terror, adquiri um gosto bem peculiar e certamente muitos aí não vão concordar com alguns filmes dessa lista.”

      Mas fica tranquilo. Eu sei pq você ficou tão chateado com a lista.

  • Rafael Gatts

    Sinto muito mas Babadook é chato pra cacete hahah, que decepção. Realmente 2014 foi fraquíssimo pro gênero. Como VHS VIRAL (aquela merda) não entrou na lista dos melhores heheh.

  • Jorge Granner

    Nossa, Dr Terror, 2014 foi realmente fraco…cheerleaders, filmes de ação e continuação de dead snow e assassino invisível nessa lista mostram, muito mais do que um gosto peculiar seu ( e de fato gosto é gosto…afinal, nunca conheci ninguém além de mim que gostasse de Cloverfield..), a falta de opções de terror daqueles de gelar a espinha e prender o fôlego para completar os dez!

    • eduardo cavalcanti

      Cloverfield é o melhor filme de monstro que ja vi e que tenho na minha coleçao

  • Joao Ferreira

    entao.. fiquei confuso com o 2º.. li ha uns meses uma crítica – aqui no site – não muito favorável.. acho que as notas eram de 1 a 5 ainda e ficou entre 2~2.5 (acho).. vendo o comentário de resposta ao max tu disse que não gostou do as above so below ( nota de 8.3 na critica do site).. são vários escritores no blog? de qualquer forma, assistirei os que ainda nao vi ^^

    • Oi João, vamos por partes. Respondendo a sua pergunta, desde o meio do ano passado o Terrorama se fundiu com o Planeta Terror e eu não sou mais o único que publica aqui no site. Na época eu expliquei isso aqui caso queira quiser saber mais: http://terrorama.net/blog/quem-sao-estes-malditos-estranhos-no-terrorama/#axzz3QfL8dVxg . Você pode saber quem escreveu a matéria vendo o nome do autor logo abaixo do título dela, ou ao final de cada artigo, na descrição do perfil do autor logo depois dos marcadores (tags) da página.

      Quanto aos filmes, a crítica de ‘Assim Na Terra Como No Inferno’ de fato não é minha, pois, como disse, eu não gostei do filme e caso desse uma nota a ele ficaria bem abaixo da que foi dada. Já no caso de ‘O Espelho’, a crítica é minha e foi razoavelmente positiva, embora eu tenha sido bem econômico com os elogios. Acho que o que está te confundindo é que com a mudança que fizemos no layout do site no início deste ano, mudamos também o sistema de notas que antes era feita por estrelas, indo de 1 à 5, para o sistema de números que vão de 1 a 10. ‘O Espelho’ tinha recebido 4 estrelas em 5, o que equivaleria hoje a uma nota 8. Porém depois da mudança ainda não retornei para reavaliar a nota de algumas críticas e atualmente este filme está sem nota.

      Sim, veja todos. Inclusive os que estão na lista dos piores também. Por mais que eu não tenha gostado de um filme, eu sempre recomendo que as pessoas o vejam para tirar suas próprias conclusões.

      • Davi Nunes

        Realmente gosto é gosto e eu achei Babadook fenomenal !!! mas ae vai a minha lista ( atrasada , pois não conhecia o site ( Adorei por sinal ). 1. Babadook 2.Open Grave 3.The Taking of Deborah Logan 4. La casa del fin de los tiempos 5. Exists 6. Assim na terra como no inferno 7. La Cueva 8. It Follows 9.Spring 10. Jessabelle ( com menção também para Honeymoon ,Starry heys , House of god and evil , Tusk , Afllicted , Assassino invisível ,The sacrament e Annabelle ) e 2015 já gostei de ” We are still here “. Abraços

        • Fala Davi, Fico feliz que tenha curtido o site! Bem… Eu achei Open Grave muito bom também, mas ele entrou na minha lista de 2013. Muitos desses que você mencionou eu só vi esse ano, como It Follows e outros nem tive tempo de ver ainda como: La Casa Del Fin De Los Tiempos, Exists e La Cueva. Já Spring eu também só vi esse ano mas não me conquistou, não. We Are Still Here é bem legal e tá entre meus favoritos, mas eu gostei muito de Let Us Prey também. Vale a pena uma olhada (mas é de gosto).

  • Maxx Seiler

    Os 5 primeiros da minsta lista estão assim: 1- Quando eu Era Vivo, 2- Maníaco, 3- The Borderlands,4- ABC da Morte 2, 5- Assim na Terra como no Inferno

  • Maxx Seiler

    Minha lista de terror ta muuuuuito diferente! rsrsrs The Guest, Dead Snow 2, Housebound & All Cheerleaders eu não assisti. Mas os demais eu vi e não conseguiram chegar na décima posição da minha lista. Aliás, muitos estão na lista dos que detestei rsrs Babadook e O Espelho são um desses. Mas gosto é gosto e adoro o site e as resenhas!

    • Bem… Eu já ia perguntar sobre a sua lista, mas acabei de vê-la aqui em cima. ‘Maníaco’ entrou na minha lista de melhores de 2013. Já ABC da Morte 2 apresentou uma melhora considerável em relação ao primeiro e concordo que é um bom filme, se esta lista fosse um TOP 20 entraria com certeza… Os demais (Quando Eu Era Vivo, The Borderlands e Assim Na Terra Como No Inferno) eu não gostei. Baseado no seu gosto, eu realmente acho bem difícil que os filmes que você disse não ter visto aqui em cima sequer entrem em um top 50. rs…. Gosto é assim mesmo. Ainda bem. Se não o mundo ia ser um saco. Valeu pela opinião.

  • Daniel Rodrigues

    Lista fantástica! Destes, 6 entraram no meu top 15, ficando de fora apenas All Cheerleaders Die, Dead Snow 2 e Uma Noite de Crime 2. The Guest ficou de fora por que não consegui me decidir sobre colocá-lo como um filme de terror ou não, mas é de qualquer maneira, um filme fantástico, um dos melhores de 2014!

    • ‘The Guest’ realmente não é terror. Entra pelo critério. Óbvio que fui conferir sua lista e nas sua tem mais três que por pouco não entraram nessa aqui. E ainda um que infelizmente não vi.

      • Daniel Rodrigues

        Sim, é um filme perfeitamente compreensível de figurar em uma lista dessas. Se não se importar em dizer, quais filmes foram os três que passaram perto e qual você não viu?

        • De forma alguma… Os 3 foram: Wolf Creek 2, Stage Fright, e Late Phases. O que não vi foi Killers.