O melhor dos gêneros de horror, suspense, ficção e fantasia

Estranhas Sepulturas de Vampiros Encontradas Na Polônia

0 250

O medo de vampiros não é uma coisa nova e já foi tão real, que não é incomum surgirem notícias de escavações que se deparam com cadáveres enterrados de formas estranhas, dando a entender que as pessoas sepultadas na verdade eram vampiros. Porém, um grupo de pesquisadores na Polônia fez uma descoberta tão misteriosa quanto macabra.

De acordo com a imprensa polaca, os restos mortais encontrados recentemente em três túmulos em um cemitério em Górzyca (ver imagens abaixo), uma aldeia na fronteira polonesa com a Alemanha, sepultados entre os séculos XIII (13) e XIV (14), mostraram sinais de mutilação que indicam que aqueles que os enterraram, acreditavam se tratar de três vampiros.

Dois dos esqueletos eram um verdadeiro manual de práticas para sepultamento de vampiros.

De acordo com o arqueólogo Krzysztof Socha, do Museu da Fortaleza Kostrzyn e líder das escavações em Górzyca, criar dificuldades para que os mortos saíssem de suas covas era um dos sinais menos macabros.

Dois dos esqueletos eram um verdadeiro manual de práticas para sepultamento de vampiros. Alguns de seus ossos foram deliberadamente espalhados ao redor ou colocados em locais invertidos – perna direita no lugar da perna esquerda e vic versa. Socha acredita que isso pode ter sido feito quando os restos foram movidos da parte principal do cemitério para uma seção externa, onde os temidos e os estranhos eram enterrados.

É óbvio que imediatamente surge a indagação de que isso poderia ter sido um simples equivoco no momento em que os restos foram transferidos. Mas segundo o arqueólogo, existem sinais ainda mais bizarros que deixam claro que isso foi feito de propósito.

O esqueleto de uma senhora estava enterrado de bruços – uma prática que forçaria o vampiro a tentar sair de uma cova indo na direção oposta. Ela também tinha os joelhos quebrados – possivelmente para diminuir sua velocidade de perseguição se ela conseguisse escapar de. Dois dos esqueletos tinham suas cabeças cortadas, que é outro sinal de medo de vampiros, enquanto o terceiro tinha sua cabeça colocada entre pedras.

A mutilação mais interessante encontrada neste cemitério foi a perfuração da espinha. Um esqueleto parecia ter sido preso por uma estaca que perfurava o seu sacro, o osso triangular na parte inferior das costas, enquanto o outro tinha um buraco no meio da espinha. Acredita-se que este tipo de procedimento foi executado para manter os vampiros firmemente presos em suas sepulturas.

Os procedimentos descritos ocorreram após a morte. Muito provavelmente, os habitantes locais decidiram que os falecidos eram vampiros, ou os consideravam responsáveis ​​por acontecimentos ao redor de mortes em massa ou de outros eventos trágicos.

Socha diz que estes três foram possivelmente responsabilizados pelas pragas e por outras doenças medievais inexplicáveis ​​que assolaram não só Górzyca, como outras aldeias polacas.

Provavelmente eles foram escolhidos porque sofriam de alguma doença misteriosa para a época, como a cólera, por exemplo. Duas pessoas pareciam ter uma doença de deterioração óssea conhecida como cifose, fazendo com que a mulher fosse corcunda e o homem tivesse um andar estranho. Sinais de que eram vampiros na era medieval.

No entanto, o terceiro esqueleto pertencente a um homem de 30 anos que não apresentou sinais de doença ou de deformidade, no entanto, ele foi o único encontrado com a estaca na espinha com e com a cabeça entre as pedras. Porém ainda não se sabe exatamente o porquê.

Socha diz que vai continuar a estudar os restos no cemitério e espera encontrar a resposta. Desde eles tenham um bom suprimento de alho e algumas estacas, por mim, tá tranquilo.

Imagens

Fonte NaukaWPolsce
Via Mysterious Universe