O melhor dos gêneros de horror, suspense, ficção e fantasia

A Verdadeira História: A Bruma Assassina (The Fog, 1984)

O Filme Busca Inspiração no Naufrágio do The Frolic em 1850

0 303

Não há como negar que A Bruma Assassina (The Fog) de 1980 é um dos marcos na carreira do diretor John Carpenter e o filme conta a história de uma uma cidade costeira da Califórnia, chamada San Antonio Bay, que se aproxima de seu 100º aniversário. Porém à meia-noita, uma forte e estranha névoa atinge a cidade trazendo morte à seus moradores. Logo é revelado que em 1880, os seis fundadores da cidade afundaram um veleiro chamado Elizabeth Dane, de propriedade de Blake, um homem rico acometido de lepra que pretendia construir uma colônia de leprosos próximo dali. Todo o ouro do navio foi pilhado e utilizado para construir a cidade. Um século depois, Blake e as demais vítimas do naufrágio retornam para exercer sua vingança.

A produção é constantemente citada em várias listas de filmes baseados em fatos reais. Todas quase sempre citam um naufrágio na costa da Califórnia, porém a menção ao acidente é sempre colocada de uma forma bem superficial e muitas vezes nem mesmo o nome do tal navio é mencionado.

Particularmente isso sempre me incomodou porque eu sempre quis saber todos os detalhes dessa história. Entretanto eu preciso dizer que, na verdade, as pessoas que montam estas listas não tem muita culpa. As informações sobre o tal acidente são realmente bem difíceis de encontrar e para escrever esta matéria foi necessária uma pesquisa bem aprofundada do assunto.

Por outro lado, dizer que A Bruma Assassina é inspirado em um fato real não é uma afirmação muito correta, pois a ideia para o filme brotou de uma série de acontecimentos que vamos detalhar aqui de uma forma segmentada, para facilitar a compreensão.

A Névoa

De acordo com o próprio John Carpenter houveram duas inspirações para a névoa de A Bruma Assassina.

The Crawling Eye/The Trollenberg Terror, 1958
The Crawling Eye/The Trollenberg Terror, 1958

A primeira delas o próprio diretor por diversas vezes já citou e trata-se de The Crawling Eye de 1958, também conhecido como The Trollenberg Terror. O filme britânico de ficção científica, dirigido por Quentin Lawrence, não chegou a ganhar um título em português no Brasil, mas em Portugal foi simplesmente chamado de As Criaturas de Trollenberg e a história gira em torno de dois homens investigando uma série de mortes em um hotel na Suiça, que logo descobrem estar diretamente relacionadas com uma névoa vinda da montanha. Como o título português deixa bem claro, a névoa é habitada por uma criatura alienígena olho grande que é a verdadeira responsável pelas mortes.

Fazendo uma relação bem simples, The Crawling Eye seria um precursor de O Nevoeiro (The Mist) de Stephen King. E sendo bem franco, eu não duvido nada que o filme também tenha servido de inspiração para o escritor, já que ele é mencionado em outro de seus romances, It: A Coisa.

Já a segunda fonte de inspiração para Carpenter foi um experiência pessoal vivida pelo diretor ao lado de sua companheira de produção Debra Hill.

Depois de estrear como diretor em Dark Star, em 1974, John Carpenter fez Assalto à 13ª DP em 1976 e apesar do thriller não ter sido muito bem recebido nos Estados Unidos, a produção conquistou os britânicos fazendo com que Carpenter fosse convidado para participar de vários festivais no Reino Unido.

Stonehenge
Stonehenge – crédito: history.com

Em uma de suas viagens, ele e Debra decidiram fazer uma visita ao monumento de Stonehenge no sul da Inglaterra. O local é considerado místico e provavelmente esse fato acabou afetando a percepção de Carpenter. Enquanto estavam no local a dupla viu uma névoa bem espessa descendo de uma colina próxima e foi então que Carpenter pensou: “E se algo estivesse no nevoeiro, e se ele estivesse escondendo alguma coisa?“.

O Naufrágio

A idéia de incluir um naufrágio realmente veio de uma história real e Carpenter foi buscar inspiração para o seu Elizabeth Dane na infame e, até então, misteriosa história do The Frolic, um veleiro que afundou na costa da California em 1850. O local do naufrágio ficava próximo de uma pequena comunidade chamada Goleta, perto de Santa Bárbara.

The Ephratah - Navio Irmão do The Frolic
The Ephratah – Navio Irmão do The Frolic

O The Frolic era uma embarcação que navegou na rota do ópio da China para San Francisco, sob o comando do capitão Edward Faucon, mas que acabou afundando antes de chegar ao seu destino. Até a época em que Carpenter escreveu seu filme, acreditava-se que o conteúdo do navio havia sido saqueado pelos habitantes da cidade e foi dessa informação que o diretor tirou a ideia para a sua história. Porém, poucos anos depois, surgiram evidências de que isso de fato não aconteceu.

O naufrágio foi investigado a fundo em 1984 pelo Dr. Thomas Layton, depois que ele e seus alunos descobriram restos de porcelana chinesa e fragmentos de vidro de garrafa perto da região, enquanto faziam uma pesquisa sobre o povo Pomo, uma tribo indígena que teria vivido por ali.

Inicialmente Layton imaginou que o material fosse algum tipo de evidência da passagem dos Pomo por ali, mas sua investigação inevitavelmente acabou o levando até um local próximo conhecido como Pottery Beach (Praia da Cerâmica), onde os moradores locais lhe mostraram caixas e mais caixas de materiais recuperados do mar, ou que foram dar na praia, dando claros indícios de que os fragmentos que Layton havia encontrado na verdade eram fruto de um naufrágio.

A Razão do Naufrágio

Layton passou 10 anos investigando registros históricos e jornais da época para descobrir o que teria acontecido com o navio e, por incrível que pareça, mais uma vez um nevoeiro teve um papel determinante nessa história.

Depois de uma viagem sem incidentes de 6 semanas o The Frolic estava a menos de 160 quilômetros de San Francisco. Era uma noite aparentemente clara e iluminada pela lua. Por volta das 21:30, em 25 de julho de 1850, o primeiro oficial avistou ondulações à frente. A primeira reação de Faucon foi de assombro. Não havia tempo para mais nada. O The Frolic atingiu uma grande rocha a cerca de 800 metros a norte de Point Cabrillo. Seu leme se partiu, seu casco se quebrou e água começou a inundar o navio. Faucon deu a ordem para abaixar dois barcos salva-vidas.

O The Frolic pertencia a uma grande companhia e como já era uma embarcação ultrapassada para a época estava segurado, portanto, Faucon e seus oficiais desembarcaram em Big River depois de abandonar o navio nos botes salva-vidas. Eles deixaram a carga e pelo menos 18 dos marinheiros malaios, chineses e lascares (indianos) que ficaram à própria sorte, no barco ou na praia de Big River.

Dez dias depois Faucon chegou a San Francisco onde reportou o naufrágio. Não há registros de mortes durante o acidente, mas o que aconteceu com os marinheiros deixados para trás… ainda é um mistério.

Na primavera seguinte, em já em 1851, Henry Meiggs, um empresário rico, enviou Jerome Ford, o superintendente de sua serraria em Bodega Bay para procurar o The Frolic. Meiggs estava interessado em saber se a carga do navio poderia ser recuperada. No momento em que Ford chegou ao local do naufrágio, não havia mais nada. Todos os detritos haviam levados pelas ondas e o que foi parar na praia foi recolhido pelos moradores da região.

Essa é a verdadeira história por trás de A Bruma Assassina! Realmente ela não tem nada de sobrenatural, mas espero que tenham gostado.

Fonte hrcllc.com pointcabrillo.org