O melhor dos gêneros de horror, suspense, ficção e fantasia

60 Fatos e Curiosidades de ‘A Bruxa’

1 1.202

Como se não fosse suficiente lançar A Bruxa apenas em DVD no Brasil, a Universal desaponta duplamente ao optar por fazê-lo extirpando todos os extras presentes nas versões internacionais, incluíndo a excelente trilha de comentários com o escritor e diretor do filme, Robert Eggers.

Ao longo da trilha Eggers faz vários comentários a respeito do contexto histórico no qual A Bruxa se insere e sobre seus gostos, nos explicando os motivos de algumas de suas escolhas e do que gostou e do que não gostou em seu filme. Além disso o diretor faz vários comentários exaltando a qualidade e a determinação dos membros do elenco e de sua equipe e discorre sobre alguns aspectos técnicos da produção.

A trilha é de fato extremamente interessante e elucidativa, não só para os fãs do filme, mas também para os amantes do gênero e de cinema em geral. Obviamente nem tudo o que é dito está aqui, mas as partes mais relevantes definitivamente foram incluídas. Então… Divirtam-se.

Um fato digno de nota é que, apesar de toda a pesquisa feita pelo diretor, por diversos motivos muitas das coisas que vemos em cena não são historicamente precisas.

[ALERTA DE SPOILERS] Atenção! As informações abaixo contém detalhes e fatos relevantes da trama. Não siga em frente se você ainda não viu o fillme.

Nos Fatos da Trilha: ‘A Bruxa’ (The Witch, 2016)

01. Depois da apresentação das logomarcas das companhias de produção, o diretor Robert Eggers deixa a tela preta por um bom tempo única e exclusivamente para distanciar o máximo possível as marcas das empresas do início do filme.

02. O diretor comenta que muita gente acha estranho o título original escrito com dois V’s porém ele indica que na época em que o filme se passa era muito comum ver o W ser substituído por 2 Vs em materiais impressos.

03. A casa de reunião do início do filme foi construída em uma serraria abandonada no Norte de Ontário no Canadá. O diretor revela que gostaria de ter rodado o filme na Nova Inglaterra, mas por questões financeiras, de taxas e incentivos. Acabou optando por Ontário.

04. Na cena, homens e mulheres estão divididos em lados diferentes da sala. O diretor afirma que essa prática era comum em comunidades calvinistas puritanas de 1620-30. Entretanto, na época era possível ver meninos pequenos juntos de suas mães, mas para deixar essa divisão bem clara o diretor optou por uma separação bem definida.

05. Um dos juízes, à esquerda, é o produtor Ryan Campbell.

06. A vila que a família deixa foi construída em Massachussets

07. Sobre o banimento da família, o diretor revela que havia muitos tipos de puritanos nessa época, sendo que os dois principais tipos eram os puritanos que queriam purificar a igreja da Inglaterra e os separatistas que queriam se separar completamente da igreja da Inglaterra. De acordo com Eggers, William (Ralph Ineson) é um separatista em uma colônia de puritanos e basicamente se achava mais digno do que os demais e constantemente os ridicularizava.

08. Em algumas cenas é possível notar uma grande quantidade de insetos e mosquitos. O diretor revela que a produção teve muitos problemas com isso ao ponto dos membros da equipe se vestirem como apicultores. O diretor ainda revela que as crianças menores foram as que mais sofreram e em uma cena de oração, Jonas (Lucas Dawson) está chorando justamente porque o menino morre de medo de insetos.

09. Para o diretor a atriz Anya Taylor-Joy trouxe muito mistério para a personagem. Segundo ele, é muito difícil descobrir o que se passa na cabeça de Thomasin.

10. O diretor revela que alguns detalhes do filme não são historicamente corretos para o período, mas foram feitos dessa forma para representar aspectos característicos da região.

11. No esboço original, o filme começa justamente com a cena do desaparecimento do bebê, porém o diretor revela que ele e a equipe sentiram a necessidade de ter uma compreensão maior do passado da família antes de chegar neste ponto da história.

12. O diretor revela que quando o filme foi exibido pela primeira vez em Sundance houve um grande suspiro vindo do público quando o bebê desaparece e isso o deixou muito contente.

13. A bruxa que carrega o bebê pela floresta na verdade é a artista de efeitos especiais Traci Loader.

14. Eggers explica que o cenário onde ocorre a cena da bruxa com o bebê foi fruto de uma extensa pesquisa e era extremamente detalhado, contendo inúmeros grafismos e utensílios utilizados pela bruxa. Mas infelizmente nada disso pode ser visto pois o diretor preferiu deixar a cena bem escura para amplificar a sensação de mistério.

15. Uma das grandes dificuldades na cena (e de outras ao longo do filme) foram os tapa-sexos que precisaram ser apagados digitalmente.

16. O diretor explica que o bebê foi utilizado para fazer um feitiço que permite que a bruxa voe. Havia a crença de que o ingrediente ativo para o feitiço de vôo são as entranhas de um bebê não batizado.

17. Eggers ressalta que a bruxa voa em um pedaço de pau e não em uma vassoura, já que, de acordo com os registros históricos, bruxas só começaram a utilizar vassouras até à partir do século XVIII. Segundo o diretor a palavra em inglês utilizada na época era “pole” (como em “pole dancing“)

18. Em relação a colheita de milho apodrecida. O diretor revela que apesar da intenção ser esta, muito do milho utilizado em cena realmente estava estragado. A produção foi obrigada a comprar milho com muita antecedência e boa parte dele acabou estragando enquanto aguardava as filmagens começarem.

19. Eggers passou muito tempo pesquisando o mundo do século XVII e foi bem meticuloso com o interior da casa, mas ainda assim ficou tão surpreso com o resultado do design de produção que chorou quando entrou no set pela primeira vez.

20. Uma grande dificuldade da produção foi que boa parte das filmagens na floresta precisava de gruas. O terreno acidentado dificultava muito o seu uso e as árvores impediam tomadas em planos mais alto. Eggers ainda conta que algumas locações escolhidas pela produção eram muito difíceis de se chegar.

21. Uma das liberdades que Eggers tomou, foi enviar o pai e o filho à floresta para procurar o bebê. Na época as pessoas eram instruídas a não criar laços com seus filhos até os 4 anos de idade, pois as chances das crianças morrerem nessa fase eram muito grandes. O diretor ainda diz que na realidade William jamais faria isso, pois a floresta é considerada um ambiente hostil e caso alguma coisa acontecesse com ele, a família toda ficaria desprotegida.

22. O diretor deixa a entender que o cachorro visto no filme não é de uma raça comumente utilizado para caça na época.

23. A lebre usada no filme se chama Dizzie e seu treinador(a) tinha 16 anos. O diretor sugere que os espectadores façam uma pesquisa no Google sobre lebres e bruxas para saber o porquê dela estar no filme.

24. Black Philip se chama Charlie e ele deu tanto trabalho que o diretor diz não saber se é realmente possível treinar um bode. As cenas envolvendo o animal foram muito difíceis, pois o bode não respondia aos comandos. Durante as filmagens com as crianças o animal ficava constantemente amarrado para que não as atacasse. As cordas foram apagadas digitalmente.

25. O diretor ainda conta que sempre se perguntou por que não se usava mais telhado no cercado dos bodes, como se fazia antigamente. Ele construiu um e o bode começou a comê-lo. Depois de descobrir o porquê ele o retirou.

26. Eggers explica que o tipo de bode visto no filme não é o correto, porém é o mais próximo que eles encontraram do que os colonos trouxeram em 1620 e pertence a uma raça de bodes que os ingleses levaram para a Nova Zelândia.

27. O ator Ralph Ineson perdeu aproximadamente 13kg para interpretar William e para isso fez Yoga, dieta e cortou muita madeira. O diretor revela que ver o ator cortar lenha era uma das atrações preferidas da equipe.

28. O riacho em que Thomasin e Caleb conversam antes de serem importunados pelas crianças é um dos locais favoritos do diretor, porém para se adequar à cena, a produção foi obrigada a construir trechos falsos de margem. Eggers conta que o trabalho ficou tão bem feito que um dos membros da produção se aproximou do riacho sem saber que estava pisando em uma das partes construídas pela equipe. A área cedeu, ele caiu na água e todos riram.

29. O riacho também é considerado pelo diretor com um local de difícil acesso e o terreno era muito pantanoso. Os trilhos da câmera (dolly) afundavam constantemente e Eggers conta que por conta disso houve muita preocupação com a segurança do equipamento.

30. O diretor revela que nessa mesma cena, Mercy (Ellie Grainger) é retratada como uma velha. Na época esperava-se que uma criança de 7 anos já se comportasse como um adulto.

  • FSociety

    Diretor chatinho em rsrs irritado.